terça-feira, 6 de março de 2012

Serra do Bico da Arara - Acari - RN


A Serra do Bico da Arara fica localizada no município de Acari, Região Seridó do Rio Grande do Norte, e constitui um dos principais atrativos naturais do município.Trata-se de uma elevação granítica, com 654 m de altitude, onde se observa a presença de uma fenda vertical originada a partir de processos naturais, formando uma espécie de gruta que, durante os meses de março a outubro, abriga uma grande quantidade de andorinhões, provavelmente, de origem chilena. Esses andorinhões migrantes são responsáveis por realizarem um belíssimo espetáculo ao saírem e retornarem à gruta, ao amanhecer e anoitecer, respectivamente. Em função de sua presença, a fenda recebe o nome de “Furna das Andorinhas”. Também em função delas, a Serra do Bico da Arara foi alvo de várias reportagens veiculadas a nível nacional na mídia televisiva, tornando-se uma das serras mais conhecidas do município. O grande número de andorinhas visitantes gerava também um volume considerável de esterco, o qual era aproveitado economicamente pelo proprietário da Fazenda Ingá, onde se localiza a serra. Para aumentar a produtividade, construiu-se uma espécie de barragem artificial com o intuito de acumular e reter o escoamento do esterco, diminuindo o desperdício. Segundo relatos de alguns antigos moradores da localidade, o esterco de andorinha chegou a ser exportado para a capital do Estado, Natal, onde era utilizado como adubo, inclusive para o gramado do Estádio João Machado (Machadão).
No topo da serra, o ponto culminante do município, encontra-se uma rocha oca interiormente, no formato de um bico, que deu nome ao lugar. Embaixo dessa rocha, um grande salão lembrando uma caverna convida os visitantes a se aventurarem numa subida de cerca de 2 horas para vislumbrar a paisagem – uma vasta extensão da chamada Depressão Sertaneja – e sentir um topoclima típico serrano.A escultura, no formato de um bico de arara, recheia o imaginário popular, que registra a existências de várias lendas a respeito da forma assumida atualmente pela rocha, que tem a ponta do bico quebrada. Segundo uma dessas lendas, a ponta do bico fora quebrada por um louco que sempre atirava pedras na rocha, situada no topo da serra.
Fonte: Wendson Medeiros – Geógrafo, M.Sc., Professor Universitário e Consultor em Meio Ambiente e Turismo.